fbpx
Quinta, 23 Julho 2020 00:00

Diabetes Gestacional

Escrito por Equipe de Gestão de Mídias Sociais - Pegasus Web Sulution
Avalie este item
(0 votos)

Assim como qualquer tipo de diabetes, o diabetes gestacional é uma doença que afeta a forma como as células utilizam a glicose (açúcar), provocando níveis elevados desta substância no sangue, situação que pode afetar o curso da gravidez e a saúde do bebê.

O diabetes gestacional é um tipo de diabetes que apresenta uma particularidade, ele surge durante a gravidez e costuma desaparecer após o nascimento do bebê.

No período da gestação ocorrem diversas modificações no organismo da mulher para o desenvolvimento do bebê, principalmente modificações hormonais como a redução da ação da insulina, que é o hormônio responsável pela captação e utilização da glicose no nosso organismo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, o diabetes gestacional pode acometer qualquer mulher, mas algumas mulheres apresentam fatores de risco que devem dispor de uma atenção e cuidados redobrados, como:

  • Ganho de peso excessivo durante a gestação;
  • Obesidade;
  • Idade avançada;
  • Hipertensão arterial;
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • Histórico familiar de diabetes gestacional;
  • Histórico materno de diabetes gestacional;
  • Gestação múltipla.

Quais são os principais sintomas da Diabetes Gestacional?

Ao contrário das outras formas de diabetes, que cursam com sintomas como perda de peso, sede excessiva, excesso de urina, visão turva e fome constante, o diabetes gestacional não costuma provocar sintomas. É sempre bom lembrar que sintomas como aumento da frequência urinária, cansaço e alterações no padrão da fome são habituais na gravidez, não servindo como parâmetro para identificação de um diabetes gestacional. Portanto, sem a realização de exames laboratoriais de rastreio, não é possível identificar grávidas com diabetes gestacional.

Quando devo fazer exames para saber se tenho Diabete Gestacional?

O rastreio para o diabetes gestacional é habitualmente feito entre a 24ª e a 28ª semanas de gestação. Em gestantes com alto risco, a investigação pode ser feita mais precocemente. Muitos obstetras começam a investigação para todas as gestantes já na primeira consulta, através da dosagem da glicemia em jejum.

O acompanhamento nutricional associado à prática de exercícios físicos indicados, normalmente alcançam e estabelecem o controle glicêmico adequado. Caso os valores desejados não sejam alcançados com esta associação terapêutica a gestante terá como indicação o uso da insulinoterapia.

É importante lembrar que a gestante que desenvolve diabetes gestacional, quando tratada e acompanhada dispõe de um parto e nascimento saudáveis.

Ler 982 vezes

Matérias/Artigos